Preparando um VHD base para criação de Máquinas virtuais

Imagem

Olá Pessoal,

Estava um tempo sem postar nada, mas agora acho que estou conseguindo voltar ao mundo dos blogs, para recomeçar estou publicando um vídeo onde eu mostro passo a passo como criar um VHD base para criação de suas máquinas virtuais.

Eu já tinha feito um post passo a passo sobre esse assunto, mas agora vou demonstrar essa tarefa em um vídeo para facilitar um pouco mais.

Aproveitem!!!!

Anúncios

Criando discos Base para o Hyper-V

 Olá pessoal,
No Post de hoje, irei demonstrar uma maneira simples de criar um disco base para a instalação de seu Sistema Operacional durante a criação de seus laboratórios de teste ou até em um ambiente de produção.
Ao invés de ficar instalando máquina a máquina o seu ambiente, você irá instalar uma vez o Sistema, em seguida irá configurar ele como base para a criação dos demais ambientes, poupando assim tempo na criação de um ambiente maior.
Para começar, instale e configure o seu sistema operacional que será utilizado como base, no nosso caso estou utilizando o Hyper-V no Windows 8 Enterprise e instalei uma cópia do Windows 2012 Datacenter, mas vale lembrar que esses passos podem ser executados com qualquer outro sistema operacional Microsoft.
Após instalar e configurar o sistema, iremos limpar a imagem para permitir a duplicação da mesma sem problemas, para isso iremos usar a ferramenta SYSPREP.EXE, agora nativa no Sistema Operacional. Em versões anteriores do Windows Vista, você precisará instalar o Resource Kit para ter acesso a mesma!
Vamos agora ao passo a passo então:
Passo 1 – No sistema operacional Guest, acesse c:\windows\system32\sysprep, em seguida duplo clique em sysprep.exe.

sysprep-01Passo 2 – Ajuste as configurações conforme apresentado na imagem abaixo, onde vamos configurar o sistema para executar OOBE, com a função Generalize e em seguida iremos desligar o micro.

sysprep-02Passo 3 – Após a máquina efetuar o desligamento, iremos exportar a VM. Para isso, clique com o botão direito sobre ela e selecione Exportar.

sysprep-03
Passo 4 –  Aponte um local para salvar a VM exportada conforme apresentado na imagem abaixo.
sysprep-04
Passo 5 – Agora a partir de um Prompt de comando, irei executar alguns passos básicos para salvar apenas o VHD, que neste momento é o que nos interessa. Neste caso, eu faço uma cópia dele para a pasta raiz criada anteriormente e renomeio ele para um nome padrão, no meu caso aqui usei Base-Ws2012.vhdx

sysprep-05

Pronto! O seu disco base está criado e pronto para ser usado. Retorne ao Hyper-V e delete a VM criada anteriormente como referência e agora vamos começar a criar as novas VMs com base no VHD criado nos passos anteriores.
Neste caso, utilizaremos discos do tipo diferenciais para a criação das novas máquinas virtuais, mas como isso não é possível já no wizard de criação da ferramenta, iremos criar nossas VMs sem VHD e após a criação da mesma, adicionaremos o novo VHD.
sysprep-06

Já com a VM criada sem VHD, acesse as configurações da mesma clicando com o botão direito nela e selecionando Configurações.
Vá até a Controladora IDE 0, selecione no painel ao lado direito a opção Disco Rígido e em seguida o botão Adicionar.

sysprep-07

Na tela Tipo de disco, selecione Diferenciação (Disco diferencial), clique em avançar, defina o local onde irá armazenar o mesmo e continue avançando.

sysprep-08

Quando chegar na tela Configurar Disco, aponte para o local onde salvou o seu disco Base criado anteriormente, no meu caso apontei para c:\Base-WS2012\Base-WS2012.vhdx

sysprep-09

Pronto, agora é só concluir o Wizard e fechar as propriedades da VM. A partir daqui basta iniciar a mesma e começar com as configurações iniciais e posteriormente implementar o seu ambiente.
Agora você perderá menos tempo criando máquinas para teste em seu laboratório e sobrará mais tempo para estudar!

Usando Hyper-V Best Practices Analyzer

Introdução

Como administradores de servidores devemos garantir que todos tenham as configurações certas e corretas, de acordo com as boas práticas criadas por outros administradores e pela própria Microsoft. Aplicando essas práticas conseguimos garantir mais performance, segurança e uma melhor administração dos serviços. Em um ambiente virtualizado com o Hyper-V não é diferente, aliás existem várias práticas recomendadas para ambiente virtualizados. O desafio é justamente saber quais são as boas práticas que devemos implementar, a diferença e o impacto de cada uma delas e os benefícios que teremos. Antigamente este era um trabalho manual feito por um especialista. Eu, por exemplo, já fiz algumas consultorias que chamávamos de “Preventiva”. Tínhamos uma lista de boas práticas e comparávamos cada servidor para saber quais estavam ou não de acordo com elas.
No Windows Server 2008 R2 existe uma solução chamada Best Practices Analyzer (BPA) para fazer todo este procedimento de forma automatizada, mostrando as melhores configurações de acordo com o serviço instalado. Nele existe um banco de dados com todas as boas práticas de acordo com o serviço instalado, reconhecendo todas as funcionalidades que não estão de acordo com as recomendações e mostrando as soluções para cada uma delas. Confira abaixo a lista de BPA para Windows:
 
· Best Practices Analyzer for Active Directory Certificate Services
· Best Practices Analyzer for Active Directory Domain Services
· Best Practices Analyzer for Active Directory Rights Management Services
· Best Practices Analyzer for Application Server
· Best Practices Analyzer for Domain Name System
· Best Practices Analyzer for Dynamic Host Configuration Protocol
· Best Practices Analyzer for File Services
· Best Practices Analyzer for Hyper-V
· Best Practices Analyzer for Internet Information Services
· Best Practices Analyzer for Network Policy and Access Services
· Best Practices Analyzer for Remote Desktop Services
· Best Practices Analyzer for Windows Server Update Services
 
Neste artigo eu mostrarei alguns detalhes, instalação e configuração do BPA para Hyper-V
 
Instalação
 
Para utilizar o BPA para Hyper-V é preciso instalar um pacote de atualização para o Windows, que pode ser baixado pelo link a seguir:
 
Para instalá-lo, basta estar logado como administrador local no servidor e executar o arquivo do link acima.
 
HBPA 
Figura 1 – Instalação do BPA para Hyper-V
 
Pré-requisitos
 
Além da credencial de administrador local, os 4 pré-requisitos abaixo devem estar instalados e em execução:
 
· Windows Hypervisor (Hyper-V)
· Hyper-V Virtual Machine Management Service
· Hyper-V Networking Management Service
· Hyper-V Image Management Service
 
Configuração
 
Depois da instalação, para usar o BPA, abra o Server Manager através do menu iniciar, clique em Roles e em Hyper-V. Do lado direito do Server Manager você verá a opção Best Practices Analyzer. Clique em Scan This Role, conforme figura 2.
 
HVBPA1 
Figura 2 – Execução do BPA para Hyper-V
Todas as configurações existentes no servidor com o Hyper-V instalado serão analisadas e algumas dicas serão apresentadas após este procedimento. Alguns exemplos que são verificados são: Serviços, processadores virtuais e lógicos, adaptadores de rede, máquinas virtuais, memória, drivers, storage, sistema operacional guest, e várias outros. No total são 30 análises feitas somente para Hyper-V. Para ter mais detalhes sobre cada uma delas, acesse http://technet.microsoft.com/en-us/library/ee941122(WS.10).aspx
 
Existem 4 classificações após a análise: Compliant, Noncompliant, Excluded e All. Na primeira guia é possivel observar cada uma delas e as respectivas severidades caracterizadas como erros e avisos.
 
Pra cada uma delas você pode encontrar informações como o problema, o impacto e o mais importante, como resolvê-lo. No exemplo da figura 3 é exibido um aviso sobre o uso de snapshots nas máquinas virtuais.
 
HVBPA2 
Figura 3 – Aviso sobre Snapshot
 
Entretanto, na figura 4 uma boa prática com a severidade “erro” foi encontrada relacionada a configuração da placa de rede do servidor. A solução neste caso é adicionar mais placas de rede ao computador físico.
 
HVBPA3 
Figura 4 – Erro relacionado a placa de rede
 
Clicando na guia Compliant são exibidas todas as boas práticas de já estão sendo utilizadas.
 
HVBPA4 
Figura 5 – Guia Compliant
 
Integração com Powershell
O BPA também pode ser usado através do Powershell, possibilitando a criação de scripts e sua utilização em Server Core, versão do Windows somente em linha de comando.
 
Para utilizar os commandlets do BPA através do Powershell é preciso importar os módulos do Server Manager e do BPA através das seguintes linhas de comando:
 
Import-Module ServerManager 

Import-Module BestPractices 
 

Para escanear o Hyper-V é preciso usar o commandlet Invoke-BPAModel seguido do ID do Hyper-V.
Invoke-BPAModel –BestPracticesModelID Microsoft/Windows/Hyper-V
Para visualizar o resultado, o commando Get-BpaResult é usado com o seguinte parâmetro:
Get-BpaResult -BestPracticesModelId Microsoft/Windows/Hyper-V
Na figura 6 os commandos acima foram executados e é possível verificar os resultados com o Get-BpaResult.
 
HVBPA5 
Figura 6 – Comandos do Powershell para usar o BPA
É possível também fazer um filtro usando o parâmetro Where-Object no powershell. No exemplo abaixo é exibido somente os avisos e erros do BPA:
 
Get-BpaResult -BestPracticesModelId Microsoft/Windows/Hyper-V | Where-Object {$_.Severity –eq “Warning” –or $_.Severity –eq “Error”}
 
HVBPA6 
Figura 7– Filtro para obter erros e avisos
Caso o servidor estiver usando a versão Server Core, é preciso instalar o Powershell e as funcionalidades com os 3 seguintes comandos:
 
dism /online /enable-feature /featurename:MicrosoftWindowsPowerShell
dism /online /enable-feature /featurename:ServerManager-PSH-Cmdlets 
dism /online /enable-feature /featurename:BestPractices-PSH-Cmdlets
É possível exportar todo o resultado para um arquivo CSV ou até mesmo criar um relatório no formato HTML.
 

Hyper-V – Implementando boas práticas

Encontrei o original deste artigo enquanto estudava um pouco sobre performance de Hyper-V, fiz a tradução dele a partir do oficial que pode ser encontrado no link: http://social.technet.microsoft.com/wiki/contents/articles/215.hyper-v-deployment-best-practices.aspx

A base deste artigo é um ebook gratuito da Microsoft Press (Understanding Microsoft Virtualization Solutions: From the Desktop to the Datacenter) por Mitch Tulloch.

O livro lista as melhores práticas para servidores físicos que possuem a função Hyper-V instalada. Mas neste artigo, você terá a oportunidade de ajudar. Você pode aumentar/editar este artigo e adicionar mais informações baseadas em sua experiência.

Ante de começar

  • Baixe, leia e entenda as informações incluídas no White Paper “Performance Tuning Guidelines for Windows Server 2008 R2”.  Três sessões neste documento podem ter impacto significantivo na discussão sobre os ajustes de performance do hardware físico, configurações de redes e subsistemas de armazenamento. Este são fatores críticos para o bom funcionamento do Hyper-V, porque o próprio hypervisor se instala sobre a camada de hardware, como descrito anteriormente e controla todo o hardware no Windows Server 2008. O próprio sistema operacional é executado em uma máquina essencialmente virtual, mais conhecida como a partição pai. 
  • Leita também os documentos Getting to Know Hyper-V: A Walkthrough from Initial Setup to Common Scenarios on TechNet.  
  • Familiarize-se com os termos principais utilizados no Hyper-V.

Boas Práticas

Evite sobrecarregar o servidor

Determinar o número de máquinas virtuais que serão hospedadas no servidor Hyper-V e a carga de trabalho que eles deverão suportar. A versão do sistema operacional que será instalado no servidor físico pode ajudar nesse sentido, como primeira “Boa Prática” considere utilizar o Windows Server 2008 Datacenter x64 com Hyper-V. O Datacenter x64 Edition suporta até 64 processadores, 2 terabytes de memória física, e 16 nós de cluster de failover para cenários de Quick Migration e permite que um número ilimitado de máquinas virtuais possam ser executada no Hyper-V. Seleção de uma instalação Server Core fornece benefícios adicionais, incluindo maior segurança e menor manutenção.


Garanta Alta Velocidade de acesso para os Storages

Para storages, considere usar SANs que podem ser configurados com alta velocidade de acesso as informações (10.000 RPMs ou mais) com altas taxas de I/O e RAID 0+1. Você pode ainda usar comunicação por Fiber Channel ou iSCSI.


Instale Multiplas placas de rede

Para a rede, garanta que você terá mais que uma placa de rede instalada fisicamente em seu servidor e que terá um dedicada para a administração do Hyper-v, ou seja, esta placa não será usada por nenhuma máquina virtual. Para máquinas virtuais com altas cargas de trabalho, você pode querer dedicar uma placa física do servidor para a placa virtual que a mesma usará. Garanta que as máquinas virtuais compartilhem as placas de redes físicas de forma que não saturem esta placa selecionada. Use o monitor de Performance e Confiabilidade para definir uma linha de base que lhe ajudará a definir e ajudar a carga de dados entre as placas de rede do servidor Físico.

Se você tiver apenas uma única NIC na máquina que você está configurando a função Hyper-V, estiver fazendo a configuração remotamente (por exemplo, em uma sessão RDP) e você optar por vincular o Protocolo de switch virtualpara o NIC único no máquina, você será desconectado da sessãoe uma reconexão pode não ser possível até que o adaptador de rede virtual recém-criado foi configurado corretamente.

Configure o Software de Anti-virus para ignorar os processos e diretórios do Hyper-V

Se você estiver executando o software de antivírus no servidor físico, você pode considerar a possibilidade de não incluir no processo de verificação osarquivos Vmms.exe e Vmswp.exe e os diretórios que contêm os arquivos de configuração das máquinas virtuais e os VHDs. Um benefício adicional do uso de discos pass-through emsuas máquinas virtuais é que você pode usar o software antivírus em execução no servidor físico para proteger essa máquina virtual também.

Evite armazenar Arquivos de Sistema nos Drivers utilizados para armazenamento do Hyper-V

Não armazene qualquer arquivo de Sistema (Pagefile.sys) nos drivers dedicados para armazenamento de dados de máquinas virtuais.

Monitore a performance do servidor para otimizar e gerenciar a carga do mesmo.

Quando você estiver executando várias máquinas virtuais com alta carga de trabalho no Hyper-V, garanta que uma adequada baseline seja obtida através de um período adequado (diria, cinco dias durante o horário normal de uso do sistema) para garantir que a configuração do hardware do servidor físico estará otimizado para suportar a carga gerada pelas máquinas virtuais. Quando o Hardware físico não suportar a adição de mais memória, processadores ou novos storages, você então precisará avaliar a possibilidade de migrar as máquinas virtuais para um outro Servidor Hyper-V.

Problemas de compatibilidade entre Hyper-V e os novos processadores Intel

Olá pessoal,

Segue um POST interessante que estou republicando com a devida autorização de meu amigo Arnaldo Fagnani referente a um problema de funcionamento do Hyper-V com os novos processadores Core i3, i5 e i7 que poderá interessar a muita gente. Lembro inclusive que alguns alunos já haviam me questionado sobre tal problema e até então não conhecia nem o problema e muito menos a solução. Portanto segue o passo a passo em detalhes logo abaixo:

Post original do site do Arnaldo Fagnani Neto

Tivemos um problema com os novos notebooks que compramos, onde ao instalar a role Hyper-V o Windows Server 2008 R2 não subia mais….ele ficava congelado em uma tela preta com o mouse, nem mesmo a tela de login carregava.

Acredito que muitos estão tendo este problema, pois fiz alguns contatos e pesquisas de uma solução, porém nada concreto.

Depois de alguns testes, eu achei uma solução simples com um hotfix.

Ambiente:
Notebook DELL Vostro 3560 CoreI5 3210M 8Gb RAM Video INTEL Integrado
Windows 2008 R2

Segue o passo a passo para a solução deste problema:

– Instale a role de Hyper-V
– Durante a reinicialização da maquina, desative a virtualização na Bios.
– Instale o KB 2517329 disponivel no site da Microsoft
– Reinicie a maquina novamente e ative a virtualização na Bios.

Pronto !!!
Hyper-v está pronto para ser utilizado !!!

Habilitando o Hyper-V usando o comando DISM.EXE

Olá Pessoal,
Segue mais uma dica interessante sobre como instalar a Role Hyper-V no Windows 2008 R2 Core usando a ferramenta Deployment Image Servicing and Management (DISM.EXE)
1 – Faça logon no Server Core com um usuário que possua privilégios administrativos
2 – No prompt de comando digite o comando dism /online /get-features /format:table e pressione Enter. Este comando irá exibir as Roles instaladas no servidor conforme mostra a figura abaixo:

3 – Agora para instalar a Role Hyper-V digite o seguinte comando: dism /online /enable-feature /featurename:Microsoft-Hyper-V (o comando é case sensitive com relação ao nome da Role). Em seguida pressione Y para reiniciar o computador e concluir a instalação do Hyper-V
4 – Após reiniciar o servidor, repita o comando dism /online /get-features /format:table para garantir que a Role foi instalada com sucesso.
Para verificar se o Firewall permitira o gerenciamento remoto do mesmo, siga a sequência de comandos a seguir:
1 – Após o Servidor reiniciar, faça logon com um usuário que possua privilégios administrativos


2 – No prompt de commando digite netsh advfirewall firewall show rule name=all dir=in > rules.txt e pressione ENTER.
3 – Execute o commando notepad rules.txt. O arquivo exibirá se as regras de Hyper-V estão habilitadas
Bom trabalho a todos…

Conceitos importantes sobre Virtualização

Olá,
Estava aqui lendo alguns documentos e me preparando para a prova 70-659 e achei um link interessante que faz uma boa introdução aos principais conceitos vinculados a Virtualização e Hyper-V. Acredito que será bastante útil para quem está começando agora nessa linha.
O que é Virtualização?

As pequenas empresas de hoje enfrentam uma pressão cada vez maior para entregar mais valor para os clientes e, ao mesmo tempo, gerenciar um orçamento baixo de tecnologia. Dessa forma, está se tornando cada vez mais indispensável otimizar os ativos da rede física para gerenciar os níveis crescentes de capacidade de processamento e quantidade de dados de que as pequenas empresas precisam conforme crescem.

Um jeito de otimizar computadores com o Windows SBS 2008 é usar a tecnologia de virtualização Hyper-V. A tecnologia Hyper-V permite que você execute vários sistemas operacionais conjuntamente, como “máquinas virtuais” em um único servidor físico. Quando configurada adequadamente, a virtualização oferece os seguintes benefícios:

·         Consolidação de Servidor.   Você pode usar o Hyper-V para consolidar vários servidores em um único sistema, ao mesmo tempo que os mantém isolados um do outro. Assim, você pode pode usar, com maior eficiência, menos recursos de hardware e pode diminuir seus custos de gerenciamento, abaixando de fato o custo total de propriedade (TCO). 
·         Menos Gastos com Energia.   Com a virtualização, você também diminui os gastos com energia e refrigeração.
·         Continuidade dos Negócios e Recuperação de Desastres.   Você pode usar o Windows SBS 2008 para fazer backup regularmente dos seus servidores em unidades de armazenamento externas. Você pode usar esses backups para restaurar completamente o servidor primário. Os servidores virtualizados Hyper-V oferecem um grau de independência do hardware e incluem opções adicionais que podem ajudar a acelerar a recuperação do servidor caso haja uma interrupção. Algumas dessas opções requerem cluster do servidor ou softwares de monitoramento adicionais. Entretanto, você pode conseguir usar a independência de hardware conseguida com a virtualização e diminuir o tempo de inatividade do servidor.
·         Amplo Suporte a Sistemas Operacionais.   Você pode usar o Hyper-V para executar simultaneamente vários sistemas operacionais convidados, incluindo sistemas de 32 e 64 bits em diferentes plataformas de servidor, como Windows, Linux e outros.
Termos e Definições
Antes de continuar, é útil compreender estes termos:

Partição filho
Qualquer partição criada pela partição pai. As partições filho não podem criar novas partições, nem tem acesso direto à memória ou dispositivos.
Sistema operacional convidado
O sistema operacional sendo executado em uma máquina virtual. O sistema operacional convidado pode ser um sistema completo ou pode ser um kernel pequeno, para um propósito especial.
Hipervisor
Uma camada de software que fica logo acima do hardware e abaixo de um ou mais sistemas operacionais. O hipervisor controla e arbitra o acesso ao hardware subjacente. Ele é o responsável por criar, gerenciar e excluir partições.
Tecnologia Hyper-V
Um componente principal do Windows Server 2008 que possibilita a consolidação de vários sistemas operacionais virtuais em um único computador físico.
Partição pai
A partição que foi criada primeiro, que executa o Windows Server 2008 e que possui todos os recursos que o hipervisor não possui, incluindo a maioria dos dispositivos e a memória do sistema. A partição pai cria e gerencia as partições filho em que você cria máquinas virtuais e instala sistemas operacionais convidados. Quando a função do Hyper-V é configurada e o servidor é reiniciado, a instalação do Windows Server 2008 que era o sistema operacional nativo do sistema se torna o sistema operacional na partição pai do servidor Hyper-V
Partição
Neste documento, uma porção distinta de um dispositivo de armazenamento que funciona como se fosse uma unidade fisicamente separada.
Servidor primário
O primeiro e principal servidor em um domínio do Windows SBS 2008. A mídia de instalação para o servidor primário vem tanto com o Windows SBS 2008 Standard quanto com o Windows SBS 2008 Premium.
Servidor secundário
O servidor secundário em um domínio do Windows SBS 2008 que executa o sistema operacional Windows Server 2008 Standard. A mídia de instalação para o servidor secundário vem com o Windows SBS 2008 Premium.
Virtualização
Um termo geral usado para descrever a abstração de recursos para computadores. Neste documento, ele se refere ao processo de configurar um servidor secundário em um domínio do Windows SBS 2008 para hospedar uma ou mais máquinas virtuais.
Máquina virtual
Um computador virtual localizado em uma partição filho, criado por emulação de software e que tem as mesmas características de um computador físico.

Virtualizando o Windows Small Business Server 2008
Usando o Windows SBS 2008 Premium e a tecnologia Hyper-V, você pode criar um ambiente de rede virtual. Quando você cria um ambiente virtual para a sua rede do Windows SBS 2008, a configuração geral da rede é a mesma de uma implantação física. Por isso, executar o Windows SBS 2008 em uma máquina virtual é muito similar a executá-la em uma implantação física.

Esta seção descreve as versões do Windows SBS 2008 disponíveis e oferece uma visão geral dos cenários comuns de uso do servidor.

O Windows SBS 2008 está disponível nas edições Standard e Premium. A edição Standard é executada em uma instância do Windows Server 2008. A edição Premium requer duas instâncias do Windows Server 2008. As duas instâncias do servidor são definidas assim:

Servidor Primário:   O primeiro servidor. Esse servidor inclui o Windows Server 2008, as tecnologias de componente que fazem a base do Windows SBS 2008 e o Microsoft Exchange Server 2007.
Servidor Secundário:   Esse servidor executa o Windows Server 2008 Standard, e, opcionalmente, o software de banco de dados Microsoft SQL Server® 2008 Standard Edition for Small Business para seus aplicativos de linha de negócios.

Virtualizando suas Plataformas de Aplicativos de Linha de Negócios com o Windows Small Business Server 2008 Premium
O Windows SBS 2008 Premium inclui o SQL Server 2008 Standard Edition for Small Business, que permite que você execute seus aplicativos de linha de negócios (LOB) em um servidor secundário. Há muitas razões para executar aplicativos LOB em um servidor secundário, incluindo:

·         Isolamento arquitetônico dos serviços de rede principais, como os serviços de domínio Microsoft Active Directory®.
·         Isolamento de outros softwares de servidor, como o Exchange Server.

Bem, agora é só buscar mais conteúdo na NET e começar a implementar e testar o Hyper-V.

Bom estudo a todos….