Hyper-V – Implementando boas práticas

Encontrei o original deste artigo enquanto estudava um pouco sobre performance de Hyper-V, fiz a tradução dele a partir do oficial que pode ser encontrado no link: http://social.technet.microsoft.com/wiki/contents/articles/215.hyper-v-deployment-best-practices.aspx

A base deste artigo é um ebook gratuito da Microsoft Press (Understanding Microsoft Virtualization Solutions: From the Desktop to the Datacenter) por Mitch Tulloch.

O livro lista as melhores práticas para servidores físicos que possuem a função Hyper-V instalada. Mas neste artigo, você terá a oportunidade de ajudar. Você pode aumentar/editar este artigo e adicionar mais informações baseadas em sua experiência.

Ante de começar

  • Baixe, leia e entenda as informações incluídas no White Paper “Performance Tuning Guidelines for Windows Server 2008 R2”.  Três sessões neste documento podem ter impacto significantivo na discussão sobre os ajustes de performance do hardware físico, configurações de redes e subsistemas de armazenamento. Este são fatores críticos para o bom funcionamento do Hyper-V, porque o próprio hypervisor se instala sobre a camada de hardware, como descrito anteriormente e controla todo o hardware no Windows Server 2008. O próprio sistema operacional é executado em uma máquina essencialmente virtual, mais conhecida como a partição pai. 
  • Leita também os documentos Getting to Know Hyper-V: A Walkthrough from Initial Setup to Common Scenarios on TechNet.  
  • Familiarize-se com os termos principais utilizados no Hyper-V.

Boas Práticas

Evite sobrecarregar o servidor

Determinar o número de máquinas virtuais que serão hospedadas no servidor Hyper-V e a carga de trabalho que eles deverão suportar. A versão do sistema operacional que será instalado no servidor físico pode ajudar nesse sentido, como primeira “Boa Prática” considere utilizar o Windows Server 2008 Datacenter x64 com Hyper-V. O Datacenter x64 Edition suporta até 64 processadores, 2 terabytes de memória física, e 16 nós de cluster de failover para cenários de Quick Migration e permite que um número ilimitado de máquinas virtuais possam ser executada no Hyper-V. Seleção de uma instalação Server Core fornece benefícios adicionais, incluindo maior segurança e menor manutenção.


Garanta Alta Velocidade de acesso para os Storages

Para storages, considere usar SANs que podem ser configurados com alta velocidade de acesso as informações (10.000 RPMs ou mais) com altas taxas de I/O e RAID 0+1. Você pode ainda usar comunicação por Fiber Channel ou iSCSI.


Instale Multiplas placas de rede

Para a rede, garanta que você terá mais que uma placa de rede instalada fisicamente em seu servidor e que terá um dedicada para a administração do Hyper-v, ou seja, esta placa não será usada por nenhuma máquina virtual. Para máquinas virtuais com altas cargas de trabalho, você pode querer dedicar uma placa física do servidor para a placa virtual que a mesma usará. Garanta que as máquinas virtuais compartilhem as placas de redes físicas de forma que não saturem esta placa selecionada. Use o monitor de Performance e Confiabilidade para definir uma linha de base que lhe ajudará a definir e ajudar a carga de dados entre as placas de rede do servidor Físico.

Se você tiver apenas uma única NIC na máquina que você está configurando a função Hyper-V, estiver fazendo a configuração remotamente (por exemplo, em uma sessão RDP) e você optar por vincular o Protocolo de switch virtualpara o NIC único no máquina, você será desconectado da sessãoe uma reconexão pode não ser possível até que o adaptador de rede virtual recém-criado foi configurado corretamente.

Configure o Software de Anti-virus para ignorar os processos e diretórios do Hyper-V

Se você estiver executando o software de antivírus no servidor físico, você pode considerar a possibilidade de não incluir no processo de verificação osarquivos Vmms.exe e Vmswp.exe e os diretórios que contêm os arquivos de configuração das máquinas virtuais e os VHDs. Um benefício adicional do uso de discos pass-through emsuas máquinas virtuais é que você pode usar o software antivírus em execução no servidor físico para proteger essa máquina virtual também.

Evite armazenar Arquivos de Sistema nos Drivers utilizados para armazenamento do Hyper-V

Não armazene qualquer arquivo de Sistema (Pagefile.sys) nos drivers dedicados para armazenamento de dados de máquinas virtuais.

Monitore a performance do servidor para otimizar e gerenciar a carga do mesmo.

Quando você estiver executando várias máquinas virtuais com alta carga de trabalho no Hyper-V, garanta que uma adequada baseline seja obtida através de um período adequado (diria, cinco dias durante o horário normal de uso do sistema) para garantir que a configuração do hardware do servidor físico estará otimizado para suportar a carga gerada pelas máquinas virtuais. Quando o Hardware físico não suportar a adição de mais memória, processadores ou novos storages, você então precisará avaliar a possibilidade de migrar as máquinas virtuais para um outro Servidor Hyper-V.
Anúncios

3 respostas em “Hyper-V – Implementando boas práticas

  1. Bom dia, não sei se alguem aqui pode me ajudar, montei um servidor proxy (pfSense) no Hyper-v e a rede interna não comunica, no meu caso possuo 2 placas de redes no servidor, uma recebe internet do roteador a outra libera dhcp para rede, instalei as duas como EXTERNAS no Hyper-v, porem dentro do proxy so consigo comunicar com a de internet (ela recebe o dhcp normalmente), enquanto a da outra placa (lan), não comunica com o servidor de jeito nenhum, teria de coloca-a como interna, privada ou fazer algum tipo de ponte da virtual com a física, teria de fazer alguma configuração especifica para ela funcionar? O que pretendo é fazer com que o proxy faça filtro de internet na rede da empresa pelo Hyper-v…tenho duas placas no servidor (AD Windows 2008 R2) mas n estou consegundo, alguem poderia me ajudar? Grato

Os comentários estão desativados.