Aprenda a Calcular sub-redes IP em 7 minutos!

Olá pessoal,

No Exame 70-410, é comum caírem perguntas sobre calculo de sub-redes TCP/IP, normalmente as pessoas consideram muito complicado executar essa tarefa. Pensando nisso, fiz um vídeo onde procuro mostrar de forma simples e prática como efetuar esse calculo.

Assistam o vídeo que postei no Youtube, em apenas 7 minutos eu mostro como efetuar essa trabalho, tudo de uma forma simples e prática!

Bom estudo para todos!
Anúncios

Endereçamento IPv6

O IPv6 é a versão sucessora do já conhecido IPv4 utilizado nas redes de computadores do mundo todo, um dos principais objetivos da sua criação é o esgotamento do endereçamento v4. A principal diferença entre o IPv4 e o IPv6 está no tamanho do endereço, onde o IPv4 é composto por uma base de 32 bits (192.168.10.10) enquanto o IPv6 é composto por uma base 128 bits (2001:0db8:bebe:café:0100:9230:bbff:7f4d) o que possibilita um numero de combinações possíveis de aproximadamente 56 octilhões de endereços IP por ser humano, um numero milhares e milhares de vezes maior do que a capacidade total do IPv4 que hoje juntando todas as suas redes consegue endereçar no máximo 4.294.967.296 IPs.

A estrutura padrão do IPv6 é sempre apresentada em Hexadecimal e segue a seguinte regra:

Os primeiros 64 bits identificam a rede e os últimos 64 bits identificam o Host, conforme a imagem abaixo:

Basicamente os endereços estão divididos nos seguintes tipos: Unicast, Multicast e Anycast

Unicast – Identifica um único Host e está dividido em Link local, Unique Local e Global

Link Local – Equivalente ao endereçamento 169.254.x.y do IPv4 é gerado automaticamente para cada host (Stateless), podendo ser usado apenas no enlace específico onde a interface está conectada, utiliza sempre o prefixo FE80::/64

Unique Local – Endereço com grande probabilidade de ser globalmente único, apenas para comunicações locais, geralmente dentro de um mesmo enlace, utiliza o prefixo FC00::/7

Global Unicast – Equivalente aos endereços públicos IPv4, este endereço é globalmente roteável e acessível na Internet IPv6. Ele é constituído por três partes: o prefiso de roteamento global (Primeiros 48 bits), a identificação da sub-rede (últimos 16 bits de id. de rede) e a identificação de host (últimos 64 bits do IP) que deve identificar de forma única uma interface dentro de um enlace. Os IPs Globais Unicast, serão distribuídos para uso de forma hierárquica, sendo que os utilizados na América do Sul por exemplo, utilizarão o prefixo 2001 ou 2800.

Multicast – São endereços utilizados para identificar grupos de interfaces, sendo que cada interface pode pertencer a mais de um grupo, basicamente igual ao processo utilizado pelo IPv4, sempre usará o prefixo FF (FF00::/8 por exemplo).

Anycast – Este é utilizado para identificar um grupo de interfaces, porém, com a propriedade de que um pacote enviado a um endereço anycast é encaminhado apenas a interface do grupo mais próxima da origem do pacote. Esses pacotes são atribuídos a partir da faixa de endereços unicast e não há diferenças sintáticas entre eles.

O IANA disponibiliza uma tabela com os prefixos IPv6 e suas respectivas utilizações através do link http://www.iana.org/assignments/ipv6-address-space/ipv6-address-space.xml

IPv6 – a nova Era!

Usar um túnel Broker é uma das possibilidades para se conseguir conectividade IPv6, quando ela ainda não está disponível nativamente em sua rede ou em seu provedor de Internet.

Um túnel é criado na rede IPv4 para transportar o IPv6, desde seu computador, até o provedor de túneis. Um tunel Broker é uma entidade que faz a configuração desses túneis de forma automática, á partir de um cadastro na Web. Um dos tuneis Brokers IPv6 gratúitos e mais utilizados no mundo é o SixXS.

A boa notícia é que foi feito um acordo entre eles e a CTBC, um dos provedores brasileiros mais avançados em relação à implementação do IPv6. Agora a CTBC abriga um dos servidores de túnel do SixXS.

Isso significa que os brasileiros que quiserem um túnel para testar IPv6 em suas casas ou empresas, agora têm uma opção de qualidade, com baixa latência.

Para fazer o setup do túnel, acesse o site: http://www.sixxs.net/main/. O túnel será feito através do servidor brudi01.sixxs.net que está hospedado na CTBC.

Há um artigo no IPv6.br com instruções detalhadas para Windows XP, mas é possível também usar o túnel com Linux e outros sistemas operacionais: http://www.ipv6.br/ipv6/artigotunnelbrokersixxs.

fonte: http://ipv6-pt.ning.com/profile/moreiras