Quais são as vantagens de migrar para a Nuvem?

Olá pessoal,

Hoje vamos falar um pouco sobre Cloud Computing e as grandes dúvidas que esta atrai. Ao iniciar um processo de avaliação de migração para a nuvem, uma empresa sempre irá se preocupar em fazer os calculos para validar se realmente irá ter vantagens com esse processo, se irá economizar algo de fato. Porém ao fazer esses cálculos, os técnicos geralmente acabam não analisando todas as questões envolvidos e consequentemente não conseguem demonstrar de uma forma adequada a viabilidade do processo.

A ideia neste post é demonstrar justamente demonstrar de uma forma lúdica, os custos envolvidos e que devem ser considerados na hora de avaliar se sua empresa terá vantagens nesta migração.

Ao fazer essa avaliação, a primeira dica importante é que olhar para os custos de software e hardware que sua empresa deixará de ter é apenas a ponta de um grande Iceberg. Migrar uma estrutura para a nuvem lhe trará uma série de benefícios que na grande maioria das empresas não está presente.

virtualizao-com-hyperv-18-638

Como você pode observar na imagem acima, transferir sua estrutura para a nuvem envolve uma série de benefícios que normalmente não conseguimos pelo mesmo custo em nossa rede local. Podemos citar como exemplo como Recuperação de desastre, manutenção com time técnico especializado, maior segurança das informações, gerenciamento baseado nas boas práticas do Mercado, etc.

Em outras palavras, esperar um valor menor ao migrar para a nuvem, não é uma grande verdade, mas garantir uma estrutura muito mais moderna e especializada por um custo acessível pela empresa é o ponto principal.

Vale destacar também que em muitos casos a redução irá ocorrer dentro de casa, redução de Espaço físico (locação), menos aquisição de hardware, redução no time técnico, etc.

Muitas ferramentas de nuvem permitem que você faça uma simulação de custo e isso irá lhe ajudar na criação da estimative que será apresentada para sua diretoria. Por exemplo, o Windows Azure, possui uma calculadora que você pode usar para consultar esses valores, ela pode ser acessada a partir do seu próprio Web Site.

Anúncios

Computadores não aparecem na console do WSUS

Olá pessoal,
O WSUS é uma ferramenta muito importante para controlar a aplicação de Patchs e Service Packs nos micros da rede.
Para tal, utilizamos normalmente a configuração das GPOs para fazer com que as máquinas da rede sejam conectadas ao servidor de atualização, porém algumas vezes ocorre de configurarmos as GPOs certinhas e mesmo assim os computadores não aparecem na lista do WSUS. Isto pode ser decorrente de diversos fatores, como por exemplo, clones de máquinas.
Abaixo segue um passo a passo que pode ajudar a corrigir esse problema:
Passo 1 – Abra um prompt de comando e digite o comando Net Stop WUAUSERV
Passo 2 – Abra o registro do Windows com o comando “regedit” e acesse a seguinte chave:
HKey Local Machine\Software\Microsoft\Windows\current Version\Windows Update
Passo 3 – Apague o registro SUSCLIENTID
Passo 4 – Feche o registro do Windows e no prompt de comando digite Net Start WUAUSERV
Passo 5  – Agora digite o comando wuauclt /resetauthorization /detectnow
Vale ressaltar que antes de executar esses procedimentos, devemos verificar se está tudo ok com a GPO, se o WSUS está funcionando corretamente e se o IIS está devidamente configurado.

Transformando um arquivo ".exe" em serviço no Windows

Olá pessoal,
Segue uma dica legal para os administradores de rede….
O comando sc create cria uma entrada para o serviço no Registro e no banco de dados do Gerenciador de controle de serviço.
Sintaxe
sc [Servername] create Servicename [Optionname=Optionvalue…
Parâmetros
Servername
Opcional. Especifica o nome do servidor quando quiser executar os comandos em um computador remoto. O nome deve iniciar com duas barras (\) (por exemplo, \\meu servidor). Para executar o SC no computador local, não forneça esse parâmetro.
Servicename
Especifica o nome fornecido à chave service no Registro. Observe que isso é diferente do nome de exibição, que é o visto com o comando net start e com a Ferramenta Serviços no Painel de controle). O Sc.exe usa o nome da chave do serviço como o identificador primário para o serviço.
Optionname
Os parâmetros Optionname e Optionvalue permitem a especificação dos nomes e dos valores dos parâmetros opcionais. Observe que não existe espaço entre Optionname e o sinal de igual. É possível fornecer um, mais de um ou nenhum par de nomes e de valores opcionais de parâmetro. O comando sc query suporta os seguintes valores:OptionnameOptionvalue
type=own, share, interact, kernel, filesys
Tipo de serviço que deseja criar. O Optionvalues inclui tipos usados pelos drivers.
(padrão = compartilhamento)
start=boot, system, auto, demand, disabled
Tipo de inicialização para o serviço. O Optionvalues inclui tipos usados pelos drivers.
(padrão = demanda)
error=normal, severe, critical, ignore
Gravidade do erro se o serviço não iniciar durante a inicialização.
(padrão = normal)
binPath=(seqüência)
Nome do caminho para o arquivo binário do serviço. Não existe um padrão para esse parâmetro. Essa seqüência deve ser fornecida.
group=(seqüência)
Nome do grupo do qual esse serviço é um membro. A lista de grupos é armazenada no Registro em ServiceGroupOrder.
(padrão = nada)
tag=(seqüência)
Se essa seqüência for definida como “yes”, o Sc.exe obterá um TagId da chamada CreateService. No entanto, ele não exibirá a tag.
(padrão = nada)
depend=(seqüência separada por espaço)
Nomes de serviços ou grupos que devem iniciar antes de iniciar esse serviço.
obj=(seqüência)
Nome da conta na qual o serviço é executado. Para os drivers, esse é o nome do objeto de driver do Windows.
(padrão = LocalSystem)
DisplayName=(seqüência)
Uma seqüência pode ser usada pelos programas de interface do usuário para identificar o serviço.
password=(seqüência)
Uma seqüência de senha. Isso é necessário se uma conta diferente de LocalSystem for usada.
Optionvalue
Especifica o valor para o parâmetro nomeado pelo Optionname. Consulte a referência do Optionname para obter uma lista de valores suportados. Quando uma seqüência é inserida, o uso de aspas vazias significa que uma seqüência vazia está sendo passada.
OBSERVAÇÃO: O comando sc create executa as operações da função de API CreateService.
O seguinte exemplo cria uma entrada do Registro para o serviço chamado “NewService” no computador chamado \\computador_remoto:
sc \\computador_remoto create newservice binpath= c:\nt\system32\newserv.exe
Por padrão, esse serviço é criado como um WIN32_SHARE_PROCESS com um tipo de inicialização SERVICE_DEMAND_START. Ele não possui nenhuma dependência e executa no contexto de segurança LocalSystem.
O seguinte exemplo cria o serviço no computador local como um serviço de inicialização automática que executa no seu próprio processo. Ele possui dependências no grupo TDI e no serviço NetBIOS. Observe que é necessário acrescentar aspas ao redor da lista de dependências separadas por espaço.
sc create newservice binpath= c:\nt\system32\newserv.exe type= own start= auto depend= “+tdi netbios”
Para obter detalhes adicionais sobre a ferramenta Sc.exe, consulte o documento Sc-dev.txt no Resource Kit. Esse documento descreve o Sc.exe detalhadamente.